Projeto Sankofa aumenta representatividade no SPFW

Advertisements

Em parceria com o coletivo Pretos na Moda e Projeto Sankofa, o evento São Paulo Fashion Week vem se reinventando nas suas últimas edições, aumentando ainda mais a representatividade do povo brasileiro.

De acordo com a co-fundadora do Pretos na Moda, há somente três estilistas negros no lineup do SPFW, um número incrivelmente baixo se levarmos em consideração o percentual de habitantes negros no país. Isso mostra que ainda falta representatividade.

Tratado Moral entre Pretos na Moda e SPFW

No último SPFW, em novembro do ano passado, o Pretos na Moda publicou o tratado moral que assinou em conjunto a equipe de organização do SPFW. Nele, vimos que o objetivo da parceria seria a reformulação da moda nacional para que todas as pessoas se sentissem representadas e pertencentes à indústria. 

Além disso, no tratado eles concordaram em também viabilizar a inclusão de profissionais racializados na indústria, através da inclusão na participação de modelos.

No acordo feito entre o Pretos na Moda e o SPFW, todas as partes concordaram que pelo menos 50% dos modelos seriam racializados para que fosse garantido um mercado mais diverso. O casting precisaria, então, ser composto por pessoas negras, indígenas e asiáticas.

Este tratado vem sendo renovado a cada edição do SPFW, e na primeira edição de 2021, a iniciativa dos coletivos VAMO e Pretos na Moda decidiu abrir espaço para 8 novas marcas idealizadas por negros ou indígenas com o Projeto Sankofa.

Como o Projeto Sankofa funciona

Como dissemos, serão 8 marcas novas que não participavam do circuito de passarela atual. 

Elas permanecerão durante três edições do evento e receberão apoio de profissionais como advogados, psicólogos, contadores, além do apadrinhamento de uma marca para cada. Esse tipo de apoio é imprescindível para alavancar as marcas, já que somente oferecer visibilidade não é o suficiente. Sabendo disso, o Pretos na Moda decidiu dar todos os recursos necessários para que essas empresas consigam ficar de pé. 

Essas três edições serão, portanto, uma espécie de treinamento intensivo com aconselhamento.

Confira abaixo uma lista com as marcas selecionadas e alguns looks de cada uma delas:

– Ateliê Mão de Mãe

– AZ Marias

– Meninos Rei

– Mile Lab

– Naya Violeta

– Santa Resistência

– Silvério

– Ta Studios

Cada uma dessas marcas será preparada para que, no final de três temporadas, elas já estejam prontas para entrar no mercado brasileiro, o que por seu lado irá possibilitar o ingresso para o line up do evento. Além disso, vale destacar que elas serão apadrinhadas por marcas com ideais semelhantes. 

Confira a lista de marcas patrocinadoras: 

  • Ateliê Mão de Mãe – Gustavo Silvestre, Projeto Ponto Firme
  • AZ Marias – Isaac Silva
  • Mile Lab – Juliana Jabour
  • Meninos Reis – João Pimenta
  • Naya Violeta – Uma por Raquel Davidowicz
  • Santa Resistência – Angela Brito
  • Silvério – Vitorino Campos
  • Ta Studios – Patricia Viera

Vídeos de apresentação 

Alguns dos designers participantes do Projeto Sankofa começaram a publicar os seus vídeos de apresentação nas redes sociais recentemente. Afinal, é esperado que essa edição do SPFW seja totalmente virtual, devido ao atual estado de isolamento em que estamos vivendo.

Nesses vídeos, podemos perceber que as marcas se dedicaram bastante à criação de uma narrativa, ao mesmo tempo em que apresentam peças exclusivas vestidas por modelos e/ou dançarinos. Já podemos ver que a qualidade das produções será altíssima, e que essas empresas têm um grande potencial de crescimento. 

Os vídeos que já foram publicados estão disponíveis na página do Instagram de cada uma das marcas. Apesar dessa primeira edição de 2021 do SPFW já ter iniciado com o lançamento dessas produções, ainda há a possibilidade de haver um desfile presencial no futuro.

Loading...